Sábado, 3 de Junho de 2006

Hino ao Espírito Santo: "Veni creator Spiritus"

Veni Creator Spiritus,
Mentes tuorum visita,
Imple superna gratia,
Quae tu creasti pectora.

Vinde, Espírito Criador,
visitai a alma dos vossos fiéis
enchei de graça celestial
os corações que Vós criastes.

Vós, chamado o Consolador
dom do Deus altíssimo,
fonte viva, fogo, caridade
e unção espiritual.

Vós, com vossos sete dons,
sois força da dextra de Deus,
Vós, o prometido do Pai;
vossa palavra enriquece nossos lábios

Acendei vossa luz em nossas almas,
infundi vosso amor em nossos peitos;
e a fraqueza da nossa carne,
fortalecei-a com redobrada força.

O inimigo, afugentai-o para longe;
dai-nos a paz quanto antes;
abrindo-nos caminho como guia,
venceremos todos os perigos.

Que por Vós conheçamos o Pai,
conheçamos igualmente o Filho,
e em Vós, Espírito de ambos,
creiamos todo o tempo.

A Deus Pai a glória,
ao Filho que, depois de morto,
ressuscitou
e ao Espírito Santo,
pelos séculos eternos.
Amen.

Para ouvir o hino em gregoriano consultar: http://www.erzabtei.de/antiquariat/Musik/Veni.html

música: Greoriano: "Veni creator Spiritus"
publicado por benedictus às 11:04
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Junho de 2006

Porquê?

Há perguntas que exigem respostas, outras silêncios. Há momentos em que a única palavra possivél é: "Porquê?"  Porquê é que isto aconteceu? Porquê a mim? Porquê aos inocentes? Porquê a guerra? Porquê...? É a expressão daquele que perante a realidade não têm explicação, sente-se ultrapassado por algo que o supera. É a expressão do que sofre, do que chora. 

"Onde estava Deus naqueles dias? Porquê é que Ele se calou? Como pôde tolerar este excesso de destruição, este triunfo do mal?" disse Bento XVI no campo de concentração em Auschwitz-Birkenau na passada semana.

Quantas vezes nós já fizemos esta mesma pergunta: "Onde estás, Ó Deus, porque não respondes?" Perante o mal, a morte, a destruição, a guerra, a doença, a fome ... esta pergunta surge come uma revolta, uma angustia.

Nestes dias essa questão deixou-me inquieto. Andava à procura de uma resposta, sem ter qualquer sucesso. Finalmente encontrei-a no silêncio.

No campo de concentração de Auschiwitz vi a resposta silenciosa de Deus na vida de Maximiliano Kolbe e Edith Stein e de tantos outros que testemunharam a sua fé

Nós que andamos à procura da resposta omnipotente de Deus, é-nos concedido o silêncio impotente de Jesus Cristo crucificado numa cruz. É esta a palavra de Deus, o Verbo de Deus para as nossas dúvidas. Em breve vamos celebrar o Pentecostes, que o Espírito Santo nos revele o roste de Deus que não é senão amor.

 

publicado por benedictus às 00:01
link do post | comentar | favorito

>Quem sou eu

>posts recentes

> Discurso de Bento XVI à O...

> Hino ao Espírito Santo: "...

> Porquê?

> Festa da Visitação da Vir...

> Permanecei firmes na fé: ...

> Bento XVI viagem a Poloni...

> Deus é Amor, permanecei n...

> Apresentação da primeira ...

> Hoje vimos maravilhas

> Vem Senhor!

>arquivos

> Abril 2008

> Junho 2006

> Maio 2006

> Janeiro 2006

> Dezembro 2005

> Novembro 2005

> Outubro 2005

> Junho 2005

> Maio 2005

> Abril 2005

> Março 2005

> Fevereiro 2005

> Janeiro 2005

> Outubro 2004

> Setembro 2004

> Maio 2004

> Março 2004

>tags

> todas as tags

>links

>as minhas fotos

>as minhas fotos

>subscrever feeds