Segunda-feira, 14 de Março de 2005

Monsenhor Joaquim Alves Brás (1899 - 1966)

brasas.jpg 



«Desejava acrescentar só mais um "a" ao meu nome. Em vez de me chamar Brás, queria ser Brasa, e assim, vós, brasas bem acesas, iríeis pelo mundo fora atear e aquecer todas as almas no fogo de Deus»



Mons. Joaquim Alves Brás



Gostaria de recordar o Mons. Joaquim Alves Brás. Dia 13 deste mês, fez 39 anos da sua partida para Deus. Foi o fundador da obra de S. Zita, do Instituto das Cooperadora da Famílias e do Movimento por um Lar Cristão. Sempre atento às questões sociais, percebeu os graves problemas que afectava as famílias e as dificuldades das empregadas domésticas. O seu processo de beatificação está a decorrer. Esperemos que em breve possamos ter mais um Santo Português.



Oração *



Ó Deus Uno e Trino, que destes ao Vosso servo Joaquim Alves Brás, sacerdote, a graça de viver o seu sacerdócio no amor à SS. Trindade e nas virtudes da Sagrada Família de Nazaré, tornando-se um apóstolo incansável da família cristã, dignai-Vos enaltecer o seu testemunho como modelo para toda a Igreja, para que à imagem da comunhão Trinitária, cresça o amor pelos irmãos mais carenciados e se multiplique o zelo apostólico pela santificação das famílias. Concedei-nos, Senhor, pela intercessão do Vosso servo Joaquim Alves Brás, a graça que Vos pedimos segundo a Vossa vontade e para glória do Vosso nome.



Dados Biográficos *



Mons. Joaquim Alves Brás nasceu a 20 de Março de 1899 em Casegas. Foi baptizado no mesmo dia em que nasceu e recebeu a Ordem de Presbítero em 19 de Julho de 1925. No ano de 1932 fundou a "Obra de Santa Zita ", no ano seguinte, o Instituto Secular das Cooperadoras da Família e, em 1962, o Movimento por um Lar Cristão. Pela sua vida de sacerdote exemplar e pela obra eclesial a favor da família cristã, bem merece ser chamado "o apóstolo da família em Portugal". Dotado de grande força interior, o seu desejo constante era identificar-se com Cristo, mediante a pratica da virtude e do serviço aos irmãos mais desfavorecidos. A Eucaristia era o centro e a raiz do seu zelo pela gloria de Deus. Nutria uma terna e profunda devoção à Santíssima Virgem Maria. Na oração e na penitência encontrou a alegria e a força da sua extraordinária actividade apostólica. Sempre devoto e obediente ao Santo Padre e aos Bispos, a sua vida foi um continuo testemunho de amor à Igreja. O lema das suas Obras soa como um convite a viver segundo Evangelho: "Mãos no trabalho, coração em Deus". Morreu santamente em Lisboa, a 13 de Março de 1966. Está a decorrer o processo da sua beatificação. A quantos receberem graças por intercessão do Servo de Deus, pede-se que enviem relação das mesmas: Postu1ação: Mons. Arnaldo P. Cardoso/ Via Torre Rossa, 68 / 00165 Roma /Tel. 06 – 66048349 Vice Postu1ação: Maria de Fátima C. Baptista /Rua de Santo António à Estrela, 35 / 1399-043 Lisboa / Tel. 21- 3960300



* citação da pagela publicada por ocasião do processo de beatificação

publicado por benedictus às 18:56
link do post | comentar | favorito
|

>Quem sou eu

>posts recentes

> Discurso de Bento XVI à O...

> Hino ao Espírito Santo: "...

> Porquê?

> Festa da Visitação da Vir...

> Permanecei firmes na fé: ...

> Bento XVI viagem a Poloni...

> Deus é Amor, permanecei n...

> Apresentação da primeira ...

> Hoje vimos maravilhas

> Vem Senhor!

>arquivos

> Abril 2008

> Junho 2006

> Maio 2006

> Janeiro 2006

> Dezembro 2005

> Novembro 2005

> Outubro 2005

> Junho 2005

> Maio 2005

> Abril 2005

> Março 2005

> Fevereiro 2005

> Janeiro 2005

> Outubro 2004

> Setembro 2004

> Maio 2004

> Março 2004

>tags

> todas as tags

>links

>as minhas fotos

>as minhas fotos

>subscrever feeds